Colheita de flores

Colheita de flores

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Rabindranath Tagore/Divaldo Pereira Franco

VIOLINO E ROSAS

SSAROS LIVRES
"Os meus,
São cantos que o coração desata em arrebatamentos ricos de emoção.
As minhas, são canções que a ternura liberta das entranhas da alma e
atira no rumo dos ventos viajeiros para que vençam distâncias.

Tenho a sensibilidade aguçada pelo amor e libero a música doce da esperança que jaz na janela da minha pequenez.

Espalho pelo ar as notas do pentagrama que a vida entoa no profundo do meu ser.

Buscando o meu REI e meu SENHOR, modulo o meu verbo e chamo e canto e suplico.

Pássaros livres, eles voam ganhando espaço na direção do Infinito e se vestem de luz.

Durante as pesadas monções e no periodo das secas, os meus pássaros da mesma forma cantam em liberdade, enriquecendo a paisagem de som e emoldurando-a de beleza.

Os meus cantos são poemas vivos de amor que se libertam da gaiola estreita da emoção onde nascem, e vencem a amplidão como pássaros da felicidade.

Aceita meu SENHOR, as minhas melodias; e faze que elas sejam sempre os pássaros livres portadoras de Paz e anunciadoras da Primavera perene para todos os infelizes do mundo.

Assim cantarei, e os meus serão  poemas e canções imortais."

Rabindranath Tagore/Divaldo Pereira Franco