Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

MINHAS PINTURAS

Imagem
FLORAL 339
TELA 50 X 60CM
PINTURA A ÓLEO
                                                              VENDIDA
                                                         COLHEITA DE FLORES 156
                                                            TELA:  50X70CM        
                                                           PINTURA A ÓLEO
                                                                 VENDIDA

                                                              FIGURA  58 
                                                        PINTURA A ÓLEO
                                                             50X 70CM  
                                                              VENDIDA      

LUIS FERNANDO VERISSIMO

Imagem
FLORAL 338
TELA 50X60CM
                                                          VENDIDA

"Outra história que eu gosto tanto, que repito sempre é a  do sortudo.  Um sortudo extraordinário .
Um sortudo de nascença que conseguia tudo o que queria sem  qualquer esforço. Na escola, nos negócios, no jogo. E com as mulheres. Não era um homem especialmente sedutor, apenas tinha sorte.  E foi acumulando conquistas amorosas, para desespero e inveja dos outros. Foram tantas as conquistas que um dia ele parou para fazer um inventário sexual e concluiu que de todos os tipos de mulheres no mundo ele não faturara uma hindu. Ou é hindua?
Enfim, uma moça da India. Por sorte conheceu uma naquela  mesma noite. E naquela mesma noite ela estava em sua cama, apresentando-o as mil maneiras de fazer o  amor oriental. Até que, saciados, os dois dormiram.  O sortudo acordou mais cedo. Ficou olhando o rosto da moça, que dormia profundamente.  E viu que ali estava a oportunidade de descobrir uma coisa que semp…

VINICIUS DE MORAES

Imagem
CAMPO DE FLORES

 SONETO DA FIDELIDADE
"De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento .

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizerdo amor (que tive)
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
(Vinicius de Moraes)